segunda-feira, 13 de maio de 2013

Atentado Ambiental no Parque Florestal de Monsanto | Reportagem na RTP 1


Na reportagem (http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=650638&tm=8&layout=122&visual=61) é afirmado que o evento se realiza numa área que não foi reflorestada, todavia, nas imagens torna-se evidente que existe um total desconhecimento e negação do trabalho realizado, pois podem ver-se diversos Cedrus no meio do descampado, sendo estas as únicas árvores "salvas" do corte, por terem uma altura de aproximadamente 1.5m, enquanto que as restantes, que estavam ao nível da vegetação do prado, foram cortadas de forma indiscriminada, por não serem visíveis.
No dia do corte, testemunhamos que este foi realizado sem a presença obrigatória da policia florestal e dos técnicos florestais, que quando alertados se deslocaram ao local e apenas puderam dar azo à sua frustração e angústia pelo corte indiscriminado. Também se descura, a importância do prado que ali foi semeado e que é vital para a consolidação dos solos, que não é cortado, como se afirma, que permite o controle de infestantes, potenciar o reflorestamento e promover a biodiversidade, sendo que este foi semeado com estes objetivos, que tinham sido alcançados.
Apesar de todos os esforços realizados pela nossa associação, que ao denunciar esta situação, procurou de imediato sensibilizar e demover responsáveis, bem como mobilizar a sociedade civil e os meios de comunicação social, congregando ainda a coesão de várias associações ambientais e cívicas, que de imediato trabalharam em conjunto pelos mesmos objetivos.
Infelizmente não conseguimos demover os responsáveis, conseguindo-se, todavia, que se tomassem algumas medidas de mitigação, vedando-se o acesso a áreas mais sensíveis, confinando-se o recinto e o acesso à linha de água, além do compromisso conjunto, com a associação académica, de revolver o terreno e realizar uma sementeira para repor o coberto vegetal.
Os danos e prejuízos são já um facto adquirido, mas vamos continuar a lutar para a sensibilização das autoridades, afim de não se repetir tal situação, e a trabalhar em conjunto com o parque para a sua preservação e promoção.

Sem comentários:

Enviar um comentário