sábado, 5 de fevereiro de 2011

A Árvore das Quintas I


O título é ambíguo: poderia ser a árvore das quintas-feiras, poderia ser a árvore das quintas, como propriedade rural, mas então porque haveria de ser uma árvore de várias quintas e não várias árvores de várias quintas?
O título intrigou-me, despertou-me a curiosidade. Fiquei a pensar naquele título tão simples, com tão poucas palavras, mas tão singular.
Por vezes conhecemos pessoas, livros, lugares, músicas, apenas por acidente. Não me recordo de quando «conheci» Manuel San Payo. As aspas são porque o conhecimento se travou no Facebook, o que não é de todo relevante para esta história. O que interessa é que, através dele, conheci a sua Árvore-das-Quintas.
Esta árvore foi a minha Árvore-de-todos-os-dias-úteis. Estudei na escola do outro lado da rua e via-a através da janela da sala de aulas. Partilhamos tanto com pessoas que desconhecemos, e com Manuel San Payo partilho o gosto por Árvores e por Desenho. O modo que encontrei de partilhar convosco estas duas paixões foi pedindo a Manuel San Payo se podia ceder alguns dos seus desenhos a este blogue.
A Árvore das Quintas é sempre a mesma, revisitada todas as quintas-feiras, sensivelmente à mesma hora e há mais de um ano. Convosco partilho quatro desenhos nos próximos domingos de Fevereiro.

Blog: Pugilares - Diário de Desenhos:
http://mirichesneg.blogspot.com/
Página dos Diários Gráficos sobre Manuel San Payo:
http://www.diariografico.com/htm/outrosautores/SanPayo/SanPayo03.htm

Desenho: Manuel San Payo
Texto: Cristina Magalhães Coelho
Revisão de texto: Raquel Mouta

2 comentários:

  1. Gostei da ideia. Como gosto de árvores e pinturas vou passar por aqui para "cuscar"!!!
    Bjs

    ResponderEliminar